erasmusplusedit_edited.png
9cd69b29811828a7a3d5ee645b0f4329-removebg-preview.png

Erasmus+ KA1

O Projeto:

O Agrupamento de Escolas de Atouguia da Baleia é uma estrutura educativa pública dinâmica, que tem vindo a reforçar as suas estratégias de melhoria através de iniciativas para a inovação e o uso educacional das TIC. Somos uma escola com contrato de autonomia, o que nos permite uma flexibilidade acrescida em diversos domínios.

Orientamo-nos por uma filosofia virada para a melhoria do sucesso dos nossos alunos, através do investimento em tecnologia educacional e na formação dos nossos recursos humanos. Neste sentido, participamos no projeto iTec (nível 5) como escola piloto e considerando que não desejamos que a nossa sala de aula se transforme num espaço de aprendizagem arcaico e obsoleto, torna-se imprescindível construir pontes usando a linguagem e os instrumentos digitais.

Queremos continuar a “espantar” e motivar os nossos alunos, através do uso das suas referências comunicacionais. Queremos desenvolver um tipo da sala de aula inovadora (espaço, estratégias e ferramentas). Procuramos trocar experiências e debater ideias e dar aos nossos alunos uma noção mais rica acerca das salas de aula europeias. O projeto educativo do agrupamento assenta a sua filosofia educacional no papel do desenvolvimento e no que representa a inovação e o uso adequado, do ponto de vista educacional, do mundo das novas oportunidades da comunicação e informação em suporte digital.

O nosso plano formativo contempla o desenvolvimento de competências dos nossos recursos humanos numa formação integrada no quadro europeu de perspetiva internacional. De resto, quer o projeto iTEC, de que falámos, quer a participação em outros projetos de cariz internacional (Comenius por ex.) assinalaram a vertente de internacionalização cada vez mais marcada que procuramos dar ao nosso percurso formativo.

A aposta do agrupamento no reforço da inovação e das TIC, bem como a necessidade de fazer evoluir as características sistémicas e organizacionais da nossa escola implicaram uma resposta do ponto de vista da formação claramente vertida neste projeto e no seu impacto.

A seleção criteriosa dos participantes, através de uma demonstração clara de vontade de participação no projeto de formação, bem como a própria participação de um número muito significativo de docentes responsáveis pelas estruturas de chefia intermédia, garantiu, pelas próprias responsabilidades profissionais inerentes ao conteúdo funcional dos cargos dos participantes, uma segura disseminação das competências adquiridas e um impacto acrescido das atividades formativas.

A procura de parcerias, encontrou as ligações adequadas aos objetivos que traçámos, na sua diversidade e ambição. As formações obtidas através do projeto foram demasiado importantes para que se possa correr o risco de negligenciar o seu registo, divulgação e reforço numa perspetiva de continuidade e de perenidade dos seus efeitos na comunidade educativa.

Quanto ao acompanhamento das diferentes fases de preparação do projeto, as mesmas foram acompanhadas por uma estrutura funcional do agrupamento, encarregue especificamente dos projetos de desenvolvimento educativo e com a presença e supervisão permanente da direção.

Este projeto conseguiu melhorar as competências dos nossos profissionais, buscando responder às suas necessidades específicas, apetrechando-os para melhorar a sua intervenção em contextos educativos diferenciados em termos linguísticos, sociais e culturais.

 

A promoção de práticas pedagógicas inovadoras e a qualidade das estratégias de intervenção sobre os diferentes domínios do processo de ensino e aprendizagem, constituiu também uma meta do projeto.

Por outro lado, ao nível organizacional, foi nossa intenção orientar a gestão e a direção escolar para a busca constante de melhoria e, nessa busca, colher informação de outros paradigmas de gestão e direção ou colher experiências válidas para que se pudesse tirar consequências, a partir de realidades com horizontes diversificados e modus operandi diferenciados.

 

O projeto enriqueceu os nossos recursos humanos com um reconhecimento formal das respetivas competências adquiridas no contexto europeu, beneficiando de um enquadramento e riqueza potencial muito mais elevados. No fundo este projeto conjugou-se sob diversas vertentes, no sentido de promover na escola um horizonte educativo mais comum ao espaço transcultural da Europa.

Os resultados obtidos no contexto formativo de referencial europeu a que nos propusemos, deixaram a sua marca e impacto nas estruturas organizacionais do agrupamento, não só através das alterações e melhorias das práticas dos participantes, alargadas à restante comunidade, mas também através da produção de regulamentos e documentos de referência e apoio onde se espera que a riqueza formativa obtida possa permanecer e frutificar.

Seleção dos participantes:

Numa primeira fase, a seleção dos participantes iniciou-se com a manifestação de interesse explícito através de um inquérito on-line onde os  docentes e não docentes registaram as suas necessidades e objetivos formativos, nas áreas e eixos de desenvolvimento do Projeto Educativo do Agrupamento. Numa segunda fase, em Conselho Pedagógico, foram definidos e aprovados os seguintes critérios de seleção/seriação:

- Exercer cargo ao nível das chefias intermédias do agrupamento.

- Envolvimento em projetos de inovação no Agrupamento.

- Ter certificação de competências TIC.

- Ter frequência em formação interna e externa proposta no Plano de Formação Contínua do Agrupamento.

Concretizando, a seleção dos participantes nas diferentes formações assentou em dois critérios considerados fundamentais para o sucesso do projeto, a saber:

- Ocupar cargos a diversos níveis das chamadas chefias intermédias e de direção do agrupamento visto possuírem uma filosofia organizacional orientada para a busca da melhoria, para a autoavaliação e centrada nos resultados.

- Possuir conhecimentos fundamentados de ferramentas inovadoras relativas às disciplinas e/ou áreas disciplinares que lecionam; compreender as vantagens da utilização das tecnologias educativas como meio para melhorar as práticas pedagógicas e as aprendizagens dos alunos; participar em projetos de inovação pedagógico-didática; dominar com alguma proficiência a utilização de meios digitais de comunicação e de informação em situação de sala de aula e enquanto recursos e instrumentos estratégicos de desenvolvimento educativo. Nesta medida, foram convidados os docentes, para as diferentes formações, de acordo com as necessidades e organização do Agrupamento.

Disseminação das Mobilidades/Cursos de Formação